Skip links

Ação Penal Privada

Advogado criminalista em BH

A ação penal privada é o tipo de ação judicial em que a própria vítima é quem precisa prestar a queixa, com o auxílio de um advogado, que elabora a queixa-crime.

O que é ação penal privada?

ação penal privada é o tipo de ação judicial em que a própria vítima é quem precisa prestar a queixa, com o auxílio de um advogado, que elabora a queixa-crime.

Nestes casos, uma consulta com advogado criminalista é indispensável, pois é por meio de seu trabalho que a vítima em questão consegue iniciar e seguir com o seu processo.

Além disso, o advogado criminalista também pode atuar em situações nas quais a vítima peça intervenção para auxílio ao Ministério Público. Nesse caso, o advogado age como assistente de acusação, direcionando esforços para que a justiça seja feita.

Quais são os crimes de ação penal privada Exemplos

Segundo o Código Penal, existem diversos exemplos de crimes que se encaixam no perfil da ação penal privada, tais como: calúnia, difamação, injuria ação penal privada, violação de direito autoral, introdução ou abandono de animais em propriedade alheia, dentre outros.

Nesse sentido, dizemos ação penal privada porque a identificação do crime, bem como a proteção do direito atingido serão mais eficientes. Além disso, as infrações penais podem também configurar ilícitos de outra ordem, como por exemplo, a responsabilização civil pelos danos e responsabilidade disciplinar por falta. Dessa forma, justificando a ação penal ficar nas mãos do ofendido.

O princípio que rege a ação penal privada é o da disponibilidade, que se manifesta da seguinte maneira:

  • RENÚNCIA:

    Manifestação da vontade do ofendido ou seu representante legal, que pode ser feita de modo tácito ou expresso, antes do ajuizamento da ação. Renuncia-se, na verdade, à ação penal;

  • DECADÊNCIA:

    Ocorre também antes da ação penal. No entanto, e, ao contrário da renúncia, não contém qualquer manifestação da vontade. Dá-se a decadência pelo simples transcurso do prazo previsto para o exercício da ação penal privada (art. 38, CPP);

  • PERDÃO:

    Uma vez proposta a ação penal, pode o seu autor, no curso dela, perdoar o ofensor, querelado na ação. O perdão, do ponto de vista jurídico, vem a ser a manifestação de vontade no sentido da perda do interesse na punição do fato pela vítima – disposição da não punibilidade (art. 107, V, Código Penal). O perdão, ao contrário da decadência e da perempção, não tem natureza processual e sim de direito material, impondo a extinção da punibilidade. E o perdão, que tem que ser aceito para ser válido, não implica, juridicamente, uma confissão de culpa;

  • PEREMPÇÃO:

    Se a decadência é a perda do direito de ação pelo seu não exercício em determinado prazo, a perempção é a perda de prosseguir na ação já proposta, pela perda superveniente do interesse de agir, a ser reconhecido pelo não atendimento de específicas exigências previstas em Lei (art. 60 do CPP).

Assim, todas as manifestações de disponibilidade da ação penal privada serão extensivas a todos os réus (após a ação penal) e/ou pelo fato (antes da ação penal). A única observação a ser feita, nesse campo, diz respeito ao perdão. Esse, para ser válido, deve ser aceito pelo réu. 

Se o querelado não o aceita, a ação, em tese, deve prosseguir. Assim, pode ocorrer que algum dos réus perdoados – se houver perdão a um, a todos se estenderá – resolva não aceitar o perdão. Nesse caso, a ação seguirá apenas contra ele, extinguindo-se a punibilidade em relação aos demais. De todo modo, o perdão oferecido a um dos réus terá se estendido a todos, ainda que o mesmo não ocorra em relação à aceitação dele.

Você necessita dos serviços de um advogado criminalista para te auxiliar? Aqui no Criminalista BH você pode contar com a qualidade de profissionais capacitados para te atender e ajudar em seu processo.

Diferenças entre ação penal pública e ação penal privada

Se levarmos em consideração a comparação entre as duas modalidades de ação penal existentes, encontraremos algumas diferenças entre elas, das quais podemos destacar:

  • Responsáveis pela ação: 

Enquanto a modalidade da ação penal pública necessita de uma iniciativa direta do Ministério Público através da ação de profissionais como o Promotor de Justiça ou Procurador da República, a ação penal privada, por sua vez, tem sua iniciativa promovida pela própria vítima. 

Isso significa dizer que, o ofendido, ao ter o seu bem jurídico violado, deve procurar imediatamente a Autoridade Policial e relatar o ocorrido. Dessa forma, caso queira, a vítima fará uma representação indicando a sua real vontade em iniciar uma ação contra o suspeito. 

Em seguida, deverá procurar por um advogado para que este finalmente instrua a ação penal privada (a favor da vítima – querelante) e contra o querelado (acusado) em questão.

  • Origem e complemento:

Na ação pública sempre se inicia o processo através do oferecimento de uma denúncia. Já na ação penal privada, o processo dar-se-á início com a queixa-crime elaborada pelo advogado contratado pelo querelante. 

Importante ressaltar que a decadência do direito de mover uma ação penal privada é de 06 (seis) meses a contar da data do fato. Portanto, no caso de a vítima não manifestar interesse, não poderá mais fazê-lo depois de decaído.

Tipos de Ação Penal Privada

Existem três tipos de ações penais privadas, sendo que cada uma conta com suas peculiaridades legais e específicas. São estas: exclusiva, ação penal privada personalíssima e subsidiária da ação penal pública.

  • Ação penal privada Exclusiva: Nesta situação, é a vítima ou seu representante legal que a exerce diretamente. Possui como particularidade o fato de que, em caso de óbito do indivíduo ofendido, os parentes próximos tais como o cônjuge, ascendentes, descendentes e irmãos, poderão propor esta ação em seu lugar ou dar continuidade a uma ação em andamento.
  • Ação penal privada personalíssima: Aqui, a ação somente pode ser movida pela vítima, não havendo a possibilidade de repasse deste direito a parentes, por exemplo. Se no caso a vítima for menor de idade, deve-se esperar que ela complete a maioridade para que se faça esta ação. Isso ocorre, pois, o bem jurídico violado era de caráter pessoal, não fazendo sentido outra pessoa prosseguir com o feito, obedecendo, portanto, o princípio da legitimatio ad causam.
  • Subsidiária da ação penal pública: Esta modalidade ocorre quando não há, por parte do Estado, através do Ministério Público, o oferecimento de denúncia contra o indivíduo no prazo legal previsto no art. 46 do Código de Processo Penal. Essa ação deverá ser intentada no prazo decadencial anteriormente dito (seis meses), conforme dispõe o art. 38 do Código de Processo Penal, a serem contados da data em que se encerrar o prazo para a manifestação ministerial.

Querelante e Querelado?

querelante é o autor da ação, ou seja, aquele que está buscando o direito ou o dever de outrem de acordo com a lei. 

querelado é o réu, ou seja, aquele que conta com a obrigação de cumprir a sentença imposta pela queixa. Esta é a regra jurídica geral que deve ser seguida, mas a situação pode variar conforme as circunstâncias específicas. 

Com base nessas informações, podemos concluir que o querelante é a parte ativa da relação jurídica, que busca seus direitos reconhecidos, e o queixoso é a parte passiva da relação, responsável pelo cumprimento da sentença.

Importância do atendimento de advogado criminalista 24 horas
Como pode ver, é muito importante contar com o atendimento de um advogado criminalista 24 horas. Já que tal profissional presta suporte em diversas situações graves, que podem levar a consequências severas. Com isso, é imprescindível conseguir ter acesso a um especialista a qualquer momento, quando necessário.

Com essa necessidade em mente, oferecemos o serviço de atendimento com advogado criminal de urgência. Assim, nossos clientes podem contar com nosso suporte a qualquer momento. Tenha acesso a um advogado online whatsapp 24 horas e tenha todo o apoio jurídico necessário para o seu caso.

Se ainda restou alguma dúvida sobre nossos serviços, não se preocupe! Entre em contato com um advogado criminalista em BH.

Veja outras áreas de atuação

Blog

Em nosso blog, você encontra tudo o que precisa saber sobre Direito Criminal. Nossos artigos abordam temas relevantes e atualizados, oferecendo informações essenciais para entender melhor esse campo da lei. Confira nossos conteúdos e mantenha-se informado sobre seus direitos e deveres na esfera criminal.

Advogado criminalista 24 Horas em BH, em atualização constante

Advogado criminalista em contagem, portanto, seu trabalho pretende abolir a mecanização dos processos, tratando todos os casos em suas mais diversas peculiaridades e com a máxima excelência.